PS não dá pelouros à oposição em Vila Franca de Xira

O novo executivo socialista liderado por Fernando Paulo Ferreira vai apostar numa negociação das principais decisões com a oposição.

Foto

Ao contrário do que sucedeu nos dois mandatos anteriores, a maioria PS que continua a liderar a Câmara de Vila Franca de Xira não vai atribuir pelouros a vereadores da coligação liderada pelo PSD. Embora mantenha uma maioria relativa, o novo executivo socialista liderado por Fernando Paulo Ferreira (antigo deputado e ex-presidente da Assembleia Municipal) vai apostar numa negociação das principais decisões com a oposição.

Mas o PS e a coligação liderada pelo PSD mantêm, ainda assim, um “entendimento” no plano concelhio, que leva a que eleitos sociais-democratas assumam a presidência de cinco das seis assembleias de freguesia e uma vereadora social-democrata assumirá o lugar de vogal no conselho de administração dos Serviços Municipalizados de Águas e Saneamento (SMAS) vila-franquenses.

A Concelhia do PSD afirmou, desde logo, na noite eleitoral (os sociais-democratas recuperaram o segundo vereador perdido em 2017), que não seria “muleta” de ninguém na gestão das autarquias locais, mas prometeu uma atitude construtiva. Nas negociações que se seguiram, PS e PSD optaram por não partilhar pelouros, ficando as responsabilidades executivas de gestão da Câmara integralmente nas mãos dos cinco eleitos socialistas, numa autarquia que tem, também, três vereadores da CDU, dois da coligação liderada pelo PSD (Nova Geração) e um do Chega.

“Contamos com toda a energia das senhoras vereadoras e dos senhores vereadores e das forças políticas aqui representadas e estaremos absolutamente disponíveis para escutar e interpretar aquilo que disserem”, afiançou Fernando Paulo Ferreira, na primeira reunião do mandato, realizada na manhã desta sexta-feira, vincando que “há muito trabalho para desenvolver e todos seremos poucos para fazer esse trabalho”. O autarca garantiu que soube ouvir o que todas as forças políticas disseram na tomada de posse e mostrou-se convicto de que “iremos fazer um caminho juntos” e de que “faremos o caminho necessário”.

Fernando Paulo Ferreira, que já destacou como prioridades imediatas a melhoria do atendimento nos serviços de saúde locais e a definição de um plano de arborização dos centros urbanos do concelho, vai ficar, entre outros, com os pelouros do Urbanismo e a Requalificação Urbana, Investimento, Protecção Civil, Turismo e Administração Geral.

A vice-presidente Marina Tiago terá a seu a seu cargo a Educação, o Ambiente e as Actividades Económicas. O economista Arlindo Dias assume o Planeamento e a Gestão Financeira e Manuela Ralha (única autarca que transita do mandato anterior) mantém a Cultura e vê as suas responsabilidades alargadas à Habitação e à Coesão Social. Já João Pedro Baião (ex-chefe de gabinete da secretária de Estado da Inclusão) presidente ao conselho de administração dos SMAS e assume pelouros como as Obras, o Apoio ao Movimento Associativo, a Juventude e o Desporto.

David Pato Ferreira, cabeça-de-lista da coligação Nova Geração nas eleições de 26 de Setembro, prometeu “uma postura correcta, vigilante, mas sempre positiva e com os olhos postos no futuro”, frisando que a “ambição” da coligação liderada pelo PSD é “chegar ao poder” na Câmara de Vila Franca de Xira.

Já Joana Bonita, cabeça-de-lista da CDU, salientou que a coligação liderada pelo PCP continua a ser “a alternativa” ao PS no concelho de Vila Franca, prometeu trabalhar com “zelo e responsabilidade”, mas lamentou “a ausência de disponibilidade do PS para envolver a segunda força política mais votada” na gestão das autarquias locais.