Intérprete afegão que salvou Biden em 2008 já fugiu do Afeganistão

Aman Khalili e a família atravessaram a pé a fronteira com o Paquistão. Intérprete tinha ajudado a resgatar Joe Biden em 2008, quando o helicóptero em que viajava o então senador foi forçado a aterrar de emergência devido a uma tempestade de neve.

Foto
EPA/STRINGER

O intérprete afegão que em 2008 ajudou a salvar Joe Biden depois de uma aterragem de emergência conseguiu sair do Afeganistão depois de semanas escondido do regime talibanAman Khalili e a família atravessaram com sucesso a fronteira com o Paquistão na semana passada, adiantou o próprio ao The Wall Street Journal.

O intérprete recorreu desde Agosto aos meios de comunicação norte-americanos para pedir ajuda à Casa Branca para sair do Afeganistão. Segundo fonte da CNN, a retirada de Aman Khalili do país foi uma operação da Human First Coalition que contou com o apoio do Departamento de Estado norte-americano.

Khalili participou em 2008 numa operação de resgate do então senador Joe Biden, quando o helicóptero em que Biden viajava foi obrigado a aterrar de emergência nas montanhas do Afeganistão devido a uma tempestade de neve. A aterragem num vale colocou a comitiva, que contava também com os senadores Chuck Hagel e John Kerry, numa posição vulnerável a emboscadas.

O nome do intérprete é agora conhecido pela primeira vez, depois de vários pedidos de ajuda nos últimos meses através do The Wall Street Journal e da CNN.

“Presidente, salve-me e à minha família. Não se esqueça de mim”, pedia em Agosto. Na altura, a secretária de Imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, agradeceu o papel de Khalili na luta norte-americana e garantiu que o afegão ia ser retirado do país, assim como todos os aliados e norte-americanos que não foram retirados a tempo.

Human First Coalition, que se tem dedicado à retirada em segurança de norte-americanos e aliados do Afeganistão, disse estar “profundamente agradecida” pela colaboração dos Estados Unidos e de responsáveis do Paquistão “nos esforços para levar o intérprete e a sua família para segurança”. A organização já resgatou mais de 200 afegãos desde o início do trabalho.