Dinamarca vai ao Mundial do Qatar. Fê-lo sem Eriksen e por Eriksen

Num grupo que até poderia trazer maiores dificuldades, a Dinamarca fez tudo bem feito. Fê-lo ainda sem o seu principal craque, mas também por ele. E para que nada faltasse no simbolismo, o apuramento para o Mundial foi selado no Parken, estádio onde Eriksen sofreu o colapso no Euro 2020.

Foto
Reuters/RITZAU SCANPIX DENMARK

Até ver, é do Norte da Europa que tem saído o maior sucesso na qualificação para o Mundial 2022. Depois da Alemanha, foi a Dinamarca a garantir, nesta terça-feira, um bilhete para viajar até ao Qatar no Inverno de 2022.

A selecção escandinava venceu a Áustria por 1-0, em Copenhaga, e já não poderá ser ultrapassada por ninguém no grupo F da zona europeia. Os dinamarqueses seguem numa qualificação perfeita, com oito triunfos em oito jogos, 27 golos marcados e nada mais, nada menos do que… zero sofridos.

Num grupo que até poderia trazer dificuldades – Áustria ou Escócia estiveram recentemente em grandes competições –, a Dinamarca fez tudo bem feito. E fê-lo sem Christian Eriksen e por Christian Eriksen.

O jogador que sofreu um colapso no Euro 2020 continua afastado dos relvados, sem previsão de regresso, e a Dinamarca, curiosamente, está até mais pujante e vencedora sem o melhor jogador do país. E para que nada faltasse no simbolismo, o apuramento para o Mundial foi selado no Parken, estádio onde Eriksen sofreu a má fortuna.

O jogo esteve sempre dentro do controlo dinamarquês, numa primeira parte de domínio e desperdício. Yussuf Poulsen perdoou três vezes em meia hora, mas os dinamarqueses acabaram por se adiantarem aos 53’.

Perante a ineficácia dos atacantes, foi o defesa Maehle a decidir, após um lance de contra-ataque. O lateral da Atalanta dá assim seguimento ao grande Europeu que fez – foi uma das revelações –, assumindo-se como elemento relevante nesta equipa.

Sérvia facilitou

Mais dividido está o grupo C. A Suíça fez o que lhe competia e, perante a arbitragem do português Tiago Martins, venceu na Lituânia por 4-0. Este resultado deixa os suíços com 14 pontos, os mesmos da Itália, pelo que o jogo entre ambas, a 12 de Novembro, poderá ser decisivo nas contas.

Destaque ainda para o grupo B, no qual a Suécia promete fazer suar a Espanha. Os escandinavos venceram a Grécia por 2-0 e subiram à liderança do grupo, com 15 pontos, mais dois do que os espanhóis.

Por fim, nota para um resultado que muito diz a Portugal. A Sérvia venceu o Azerbaijão por 3-1e chegou aos 17 pontos no grupo A, mais um do que Portugal. Os sérvios têm, porém, mais uma partida realizada, pelo que esta é uma vantagem pouco segura. E menos segura poderia ter sido.

Tudo porque o guardião sérvio Rajkovic teve um lance caricato (ver em baixo) em que ofereceu, aos 45+2’, o 1-1 ao Azerbaijão. O avançado Vlahovic, um dos jogadores mais cobiçados da Europa, bisou aos 53’ e garantiu, a par de Tadic (83’), que Rajkovic não terá pesadelos nesta noite.