Milhares de manifestantes em Tunes denunciam “golpe” do Presidente Saied

Tunisinos reunidos na capital do país protestam contra a governação por decreto imposta pelo chefe de Estado.

Foto
Mais de cinco mil pessoas juntaram-se na capital da Tunísia ZOUBEIR SOUISSI/Reuters

Mais de cinco mil pessoas manifestaram-se este domingo no centro de Tunes para denunciar o “golpe” do Presidente Kais Saied, que assumiu plenos poderes no final de Julho na Tunísia.

Apesar do apertado controlo policial, os manifestantes concentraram-se na Avenida Bourguiba,, respondendo ao apelo de diferentes formações da oposição ao Presidente, entre as quais o partido de inspiração islamita Ennahdha.

“Somos contra o golpe. Rejeitamos o discurso de divisão”, disse Jaouhar Ben Mbarek, activista político e um dos organizadores do protesto, citado pela Reuters.

“Vim enquanto democrata e partidário de Moncef Marzouki”, o ex-Presidente tunisino (2011-2014), que reside em Paris, explicou um dos manifestantes à AFP.

Entre as palavras de ordem ouviam-se gritos de “o povo contra o golpe de Estado” e “eleva a voz, a revolução não morre”, noticia a agência noticiosa francesa.

Saied invocou, no passado dia 25 de Julho, um “perigo iminente” para demitir o primeiro-ministro, Hichem Mechichi, dissolver o Parlamento e tomar para si o poder judiciário.

No dia 22 de Setembro promulgou um decreto que oficializa a suspensão de vários artigos da Constituição e instaurou “medidas excepcionais” para realizar “reformas políticas”, entre as quais emendas à lei fundamental de 2014.

O Presidente passou a legislar e a presidir ao Conselho de Ministros, tendo nomeado, também no mês passado, Najla Bouden Romdhane​ como primeira-ministra, aguardando-se a formação de um restante governo.