A extinção é para sempre? A ciência está a tentar que não seja

Mamutes-lanosos e pombos-passageiros são animais icónicos e cujo habitat já desapareceu. Há planos para tentar recuperá-los, calculando os efeitos que teriam no novo ambiente. Mas há urgência em salvar espécies que se estão a extinguir agora.

Foto
Se conseguíssemos recuperar os mamutes lanosos, estes poderiam recuperar a tundra siberiana Giant Screen Films

A extinção de uma espécie é para sempre… Ou então não. Se alguns cientistas têm planos mais ambiciosos, como fazer renascer o mamute lanoso (ou um híbrido de elefante asiático e deste mamute cujos últimos exemplares, em regiões isoladas, desapareceram da face da Terra há cerca de 4000 anos), há muitas outras espécies, mais recentes ou até contemporâneas, mas que cruzaram a linha vermelha da extinção, em relação às quais os cientistas estão a tentar usar as tecnologias mais recentes para as tentar ressuscitar.