Rolling Stones deram primeiro concerto depois da morte de Charlie Watts

É a primeira vez, em 59 anos, que os Rolling Stones partem para uma digressão sem o baterista Charlie Watts.

Foto
Mick Jagger recordou Charlie Watts, falecido em Agosto, no concerto no Gillette Stadium que seviu de pré-aquecimento para a tour de 2021 Mario Anzuoni/Reuters

Antes de iniciarem uma nova digressão em 2021 (a No Filter tour) que começará oficialmente no próximo domingo, dia 26 de Setembro, em St. Louis, no Missouri, os Rolling Stones deram um concerto privado esta segunda-feira para uma pequena multidão de convidados, no Gillette Stadium, em Foxboro, Massachusetts. Foi uma espécie de pré-aquecimento para o que aí virá. E foi o primeiro concerto após a morte, em Agosto, do baterista Charlie Watts

Do concerto fizeram parte 14 canções, mas a principal novidade foi mesmo a estreia não-oficial do baterista Steve Jordan, que substituiu assim o falecido Charlie Watts, que não falhava uma digressão dos Rolling Stones desde que entrou para a banda no longínquo Janeiro de 1963. Steve Jordan, que tem tocado com Keith Richards ao longo dos anos, já havia sido anunciado como substituto de Watts para a presente digressão, devido ao seu estado de saúde. 

“É uma noite comovente para nós”, disse Mick Jagger. “Esta é a nossa primeira digressão em 59 anos que fazemos sem o nosso encantador Charlie Watts. Todos sentimos muita falta do Charlie. Sentimos a sua falta como banda. Sentimos a sua falta como amigos, dentro e fora do palco. Temos tantas recordações do Charlie. Tenho a certeza de que alguns de vós que já nos viram antes também têm memórias do Charlie. Espero que se lembrem dele como nós. Gostaríamos de dedicar este espectáculo ao Charlie.”

Num alinhamento que passou por temas como Let’s spend the night together, Under my thumb, You can’t always get what you want, Jumpin’ Jack flash ou (I Can’t Get No) Satisfaction, destaque ainda, para a estreia ao vivo, de duas canções – Troubles a-Comin’ e Living in a ghost world.