Por agora, o buraco na camada de ozono de 2021 já é dos maiores desde que há registos

Esta quinta-feira comemora-se o Dia Mundial para a Preservação da Camada do Ozono e é feito um ponto da situação sobre o buraco na camada de ozono que se forma todos os anos sobre a Antárctida. O processo ainda está a decorrer e continua a ser monitorizado.

Foto
Até agora, a área ocupada pelo buraco na camada de ozono no hemisfério Sul já chegou a cerca de 22,5 milhões de quilómetros quadrados STEPHANE MAHE/REUTERS

Durante a Primavera no hemisfério Sul, forma-se um buraco na camada de ozono sobre a Antárctida. Esta quinta-feira, no Dia Mundial para a Preservação da Camada do Ozono, o Serviço de Monitorização da Atmosfera do Copérnico (CAMS) faz um ponto da situação sobre o processo deste ano: o buraco na camada de ozono no hemisfério Sul já “ultrapassou a dimensão da Antárctida” e, na fase do ano em que se encontra, já é dos maiores desde 1979 – isto é, desde quando o CAMS tem registos.