Petição insta Netflix a chamar angolanos para a sua produção sobre a Rainha Ginga

O actor e produtor Sílvio Nascimento defende que a plataforma de streaming deveria incluir talentos angolanos na série que narrará a vida da rainha que viveu entre 1583 e 1663.

Foto
A rainha Nginga DR

Em Agosto, soube-se que a actriz e empresária norte-americana Jada Pinkett Smith será a produtora executiva de uma nova série híbrida de documentário e ficção da Netflix sobre rainhas africanas. A primeira temporada será dedicada a Cleópatra, a segunda versará sobre a Rainha Ginga (1583-1663), mítica figura da história angolana do período pré-colonial. Ainda nem sequer há nome e pouco se sabe, neste momento, sobre os moldes em que a produção se fará, a não ser que a série será escrita pela queniana Peres Owino e pela britânica NneNne Iwuji.