O mundo perante a ameaça de Bolsonaro

Não faz sentido neste momento acreditar que a democracia brasileira está em risco de entrar em colapso. Faz sentido, sim, notar que está sob uma forte ameaça por parte de um Presidente que não esconde a sua feição autoritária

É, no mínimo, estranho que numa carta assinada por 150 ex-líderes mundiais com duras críticas a Jair Bolsonaro não haja um único português. Num momento crítico do país com o qual dividimos a língua e intensos laços culturais e históricos, seria importante sinalizar que também em Portugal se partilha a preocupação internacional com as tentativas de Jair Bolsonaro de demolir a democracia brasileira. A omissão será certamente justificada pelo facto de ex-Presidentes ou ex-primeiros-ministros de Portugal desconhecerem a iniciativa, ou de não terem sido convocados para a subscrever. Seria por isso conveniente encontrar alternativas para expressar preocupação com a ameaça do bolsonarismo e mostrar que, como em todas as democracias, Portugal está solidário com todos os que se empenham em manter vivo o Estado de direito e os princípios constitucionais arduamente conquistados pelos brasileiros em 1988.