O que explica a adesão dos portugueses às vacinas? A memória colectiva do tempo em que o sarampo e a poliomielite matavam

Enquanto vários países tiveram de recorrer à obrigatoriedade da vacinação contra a covid-19, em Portugal a taxa de recusa da vacina reduz-se a “entre 2% e 3% da população”. O que explica a pronta confiança dos portugueses nas vacinas? A literacia em saúde e a memória ainda fresca do tempo em que o sarampo, a varíola e a poliomielite matavam ou marcavam para a vida.

Foto

Em Portugal, a taxa de recusa da vacinação contra a covid-19 anda entre “os 2% a 3% da população”, segundo adiantou ao PÚBLICO o coordenador da task force da vacinação, o vice-almirante Gouveia e Melo. “A taxa de sucesso nas respostas às convocatórias por mensagem de telemóvel é de 68% e cerca de 22% das pessoas não respondem, porque não viram o SMS ou não estavam disponíveis naquele dia, mas não podemos presumir que recusam a vacinação, até porque a maior parte acaba por aparecer depois na ‘casa aberta’”, precisa.

Sugerir correcção
Ler 101 comentários