Uma escolha “natural” e “evidente”: Pedro Penim sucede a Tiago Rodrigues no Teatro Nacional D. Maria II

Actor, encenador e dramaturgo, fundou o Teatro Praga e o espaço cultural Rua das Gaivotas 6, em Lisboa, mas tem vindo também a fazer caminho artístico e autoral em nome próprio. “Sinto-me muito capaz de assumir este cargo”, diz ao PÚBLICO, sublinhando o facto de o seu antecessor lhe deixar a casa “num estado muito sólido”, e propício a que a instituição possa ser “cada vez mais plural e mais aberta”.

Foto
RUI GAUDÊNCIO

O lugar parecia difícil de preencher, mas afinal havia uma solução “natural” e “perfeitamente evidente” para ocupar a cadeira que Tiago Rodrigues deixará vaga no Teatro Nacional D. Maria II (TNDMII) quando assumir de facto a direcção artística do Festival de Avignon. Foi num artista da mesma geração, e que partilha aliás com o seu antecessor no cargo uma matriz de trabalho vincadamente internacional e influenciada pelas heterodoxias do teatro pós-dramático, que o Ministério da Cultura encontrou o novo director artístico do D. Maria: Pedro Penim, o actor, encenador e dramaturgo cujo percurso se confunde com o do colectivo Teatro Praga e, mais recentemente, com o espaço cultural Rua das Gaivotas 6, em Lisboa, mas que nos últimos anos tem vindo também a fazer um caminho autoral em nome próprio.