Mary tem 99 anos, o vizinho Benjamin tem 2. Assim nasceu uma amizade eterna

Quando Mary O’Neill, quase centenária, chega ao seu quintal para a brincadeira matinal, Benjamin Olson, de 2 anos, já lá está, pacientemente, à sua espera, brincando com o camião que a vizinha lhe ofereceu. Jogo preferido dos dois: a “bola de bengala”. Uma história de isolamento, vida e renascimento cheia de amizade. Para a idosa, Ben é um “querido amigo”. É que, confessa, “é difícil não o amar”.

impar,solidao,questoes-sociais,isolamento,idosos,criancas,
Fotogaleria
Sarah Olson via The Washington Post
impar,solidao,questoes-sociais,isolamento,idosos,criancas,
Fotogaleria
impar,solidao,questoes-sociais,isolamento,idosos,criancas,
Fotogaleria
Sarah Olson via The Washington Post

Mary O'Neill e Benjamin Olson têm quase um século a separá-los, mas isso não foi impedimento para que se tivessem tornado os melhores amigos, encontrando um no outro o apoio para ultrapassar o isolamento ditado pela pandemia: o pequenino oferece-lhe punhados de terra como se fossem tesouros e os dois jogam a uma brincadeira inventada, a “bola de bengala”. Ele atira a bola; ela bate-a com a sua bengala de apoio.