IPCA entra no projecto da residência universitária na Confiança — que pode reduzir a fábrica às suas fachadas

A residência universitária preocupa a Plataforma Salvar a Fábrica Confiança, que acusa a autarquia bracarense e a Universidade do Minho de “promoção do fachadismo” da antiga saboaria. O movimento cívico considera que as escolhas do município estão trocadas, defendendo a instalação da residência na antiga escola Francisco Sanches — que, por sua vez, será um centro cívico e cultural.

Foto
Nelson Garrido

O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) vai juntar-se à Câmara Municipal de Braga e à Universidade no Minho (UMinho) na construção de uma residência universitária pública na Fábrica Confiança. Será instalado “um edifício novo”, “que vai surgir ao lado” do da antiga saboaria, que terá espaço para 600 camas, restaurante, spa, ginásio e salas de trabalho e de lazer. O projecto está “enquadrado no Plano de Recuperação e Resiliência” (PRR) e a candidatura será submetida “até meados de Setembro”, avança Ricardo Rio, presidente da autarquia bracarense, ao PÚBLICO. Estima-se que a obra custará entre 18 e 20 milhões de euros.