Governo quer fazer da “bazuca” um corta-fogos na floresta

Esta segunda-feira são assinados os contratos de criação de 47 das 60 Áreas Integradas de Gestão da Paisagem para as quais o Governo destina 220 milhões de euros do Plano de Recuperação e Resiliência.

Foto
Adriano Miranda

O Governo assina esta segunda-feira os primeiros compromissos do recém-aprovado Plano de Recuperação e Resiliência, na área da floresta, para a qual reserva 270 milhões de euros a investir no Programa de Transformação da Paisagem. A grande fatia desta verba, 220 milhões, vai, nos próximos cinco anos, para 60 Áreas Integradas de Gestão da Paisagem (AIGP) a criar nos territórios mais vulneráveis aos incêndios, e as 47 primeiras são esta manhã contratualizadas, em Pampilhosa da Serra, uma das áreas afectadas pelos grandes fogos de 2017. A longo prazo, e, com outras fontes de financiamento, os serviços de ecossistemas prestados por estas zonas serão remunerados nas próximas duas décadas.