Aida Rechena vai ser a primeira directora do Museu Resistência e Liberdade e Paulo Costa mantém-se nos museus de Etnologia e de Arte Popular

Direcção-Geral do Património Cultural anuncia novos nomes para alguns dos museus da rede nacional sob a sua tutela.

museus,politica-cultural,patrimonio,artes,culturaipsilon,lisboa,
Fotogaleria
Aida Rechena,Aida Rechena Ricardo Campos,Ricardo Campos
museus,politica-cultural,patrimonio,artes,culturaipsilon,lisboa,
Fotogaleria
Paulo Costa Rui Gaudêncio

Aida Rechena, museóloga que desde Março de 2019 trabalha no Museu Nacional da Resistência e Liberdade, vai ser a primeira directora do novo museu criado em 2017 e entretanto instalado na Fortaleza de Peniche, que foi uma antiga prisão para presos políticos durante a ditadura do Estado Novo. E Paulo Costa vai manter-se à frente dos museus de Etnologia e de Arte Popular, em Lisboa. Estas são algumas das novas nomeações anunciadas esta terça-feira pelo Ministério da Cultura através de um comunicado em que dá conta das mais recentes escolhas para outros museus dependentes da Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC).