A primeira Lei do Clima da UE já está no papel, e em breve estará em todo o lado

No último dia da presidência portuguesa da UE, Matos Fernandes assinou o diploma que obriga os 27 a reduzir pelo menos 55% das emissões de CO2 até 2030 para atingir a neutralidade climática em 2050. “É uma lei que vai provocar mudanças muito profundas.”

Foto
João Pedro Matos Fernandes com o eurodeputado Pascal Canfin e o presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli STEPHANIE LECOCQ/EPA

Foi ao ministro do Ambiente de Portugal, o primeiro país no mundo a comprometer-se com a meta da neutralidade climática em 2050, que coube a honra de assinar a primeira Lei do Clima da União Europeia, esta quarta-feira, numa cerimónia no Parlamento Europeu, em Bruxelas, naquele que foi o último dia da presidência portuguesa do Conselho da UE.