Juventude espanhola enfrenta experiência croata

Seleccionador Zlatko Dalic lamenta perda de Perisic, que acusou positivo ao covid-19. Luis Enrique elogia os seus jogadores e considera o benjamim Pedri, de 18 anos, uma aposta ganha

Foto
Pedri tem sido um jogador em destaque na Espanha de Luis Enrique LUSA/Thanassis Stavrakis / POOL

A renovação que Luis Enrique operou na selecção espanhola é mais evidente ao analisar a equipa que defrontou a Croácia pela última vez, na fase de grupos da Liga das Nações, há dois anos e meio. Sobraram apenas dois jogadores nas formações titulares apresentadas neste Euro 2020: Jordi Alba e Sergio Busquets. Mais do que uma renovação, a equipa atravessa uma revolução. Esta tarde, em Copenhaga, novamente frente aos vice-campeões mundiais, a juventude espanhola enfrenta a experiência croata.

Com uma média de idades de 26 anos, a Espanha entrou neste Europeu como a quarta selecção mais jovem, apenas superada pela Turquia (24,9), Inglaterra (25,2) e País de Gales (25,5). Titular absoluto, Pedri é o benjamim do conjunto, com 18 anos, e o mais novo de sempre a alinhar numa fase final com a camisola espanhola. Tinha pouco mais de três anos de idade quando Luka Modric (que completará 36 anos em Setembro), a grande estrela croata, se estreou pelo seu país.

“Pedri [totalista nas três partidas da fase de grupos], para nós, é um jogador único”, sublinhou este domingo Luis Enrique, na antecipação da partida. “É o mesmo dentro e fora de campo. Está fresco até quando joga ping-pong”, garantiu o técnico, que considera ganha a aposta do jovem jogador do Barcelona. De resto, os elogios estendem-se a todo o grupo. “Gosto tanto da equipa e do plantel que poderiam jogar todos os que estão convocados.”

Perisic de fora por causa da covid-19

A selecção balcânica, apesar da veterania de parte dos seus jogadores, apresenta uma média de idades de 27,6 anos, que é ligeiramente inferior à portuguesa (27,9). Muitas das grandes figuras da equipa terão aqui a derradeira oportunidade de conquistar um grande troféu internacional, depois da frustração de perder a final do Mundial da Rússia, há dois anos, para a França.

Quem não poderá já ajudar é Ivan Perisic, de 32 anos, que testou positivo à covid-19 e foi afastado do grupo para cumprir 10 dias de isolamento. Uma dura contrariedade para o seleccionador Zlatko Dalic, que perde um dos jogadores mais fundamentais da equipa, juntamente com Modric ou Kovacic.

“Foi um choque para nós, foi um golpe”, garantiu o técnico este domingo, na antecipação do jogo com a Espanha. “É difícil encontrar um substituto de nível para Perisic”, prosseguiu, garantindo que os seus jogadores continuam moralizados para prosseguir na prova. “Jogámos frente a um grande rival na estreia [Inglaterra, com quem perderam por 1-0] e, desde então, crescemos e temos um estado de ânimo muito positivo.”

Após uma fase de grupos aquém das expectativas, Espanha e Croácia querem continuar a redimir-se nos oitavos-de-final, como já o fizeram na última partida da fase de grupos para garantiram a continuidade em prova. No caso dos espanhóis, com uma goleada por 5-0 à Eslováquia, enquanto os croatas soltaram o seu melhor futebol na competição frente à Escócia (3-1).