Gabriel Ferrandini lançou-se ao alto mar e voltou de lá para nos tocar

Uma experiência dos limites. Há quase silêncio e tormenta, recolhimento e fúria, em Hair Of The Dog, o fascinante novo álbum de Gabriel Ferrandini, cada vez mais distante do jazz. Obra física mas também mental, teve primeira apresentação no Teatro Viriato em Viseu.

Foto
Carlos Fernandes

Há tempo. “Existem momentos em que simplesmente não acontece nada”. Há espaço. “Quando percebes que estás no meio do oceano és invadido por uma sensação de tensão.” Há aparente acalmia. “Não fazes nada, a não ser pensar. E turbulência. “É difícil verbalizar o que são ondas de seis metros, à noite, às três da manhã!”

Sugerir correcção
Comentar