Há “gigantes verdes” à espera de ajuda para continuarem de pé

Associação lançou uma campanha de crowdfunding que parte da ideia dos mercados de carbono: quem participa está a ajudar a preservar árvores centenárias e verdadeiros tesouros da biodiversidade, contribuindo para diminuir a pegada de carbono individual.

Foto

Olha-se para ele, ainda antes de se conhecerem os números que ditam a sua grandeza, e sentimo-nos esmagados. O carvalho-alvarinho de Alvarenga, na Quinta do Bairro, em Lousada, está isolado e a sua copa gigante estende-se à vontade, sem qualquer entrave, formando uma cúpula que faz lembrar uma catedral natural, com as extremidades a tocarem o chão. “Se os carvalhos pudessem crescer livremente, sem intervenção, era assim que seriam”, diz o biólogo João Gonçalo Soutinho, que desde 2018 percorreu a pé todo o concelho de Lousada, em busca de árvores como esta, no âmbito do seu projecto apoiado pela autarquia (e posteriormente transformado em tese de mestrado), Gigantes Verdes. Agora, tem em marcha um projecto de crowdfunding para ajudar a preservar estas árvores com troncos tão largos que ninguém consegue abraçá-los sozinho.