Covid-19: sete mortes e 469 casos em Portugal

Há 223 pessoas hospitalizadas, menos 13 do que no dia anterior, sendo que 71 estão nos cuidados intensivos (menos uma). Número de mortes é o registo diário mais alto desde 13 de Abril.

Foto
Nuno Ferreira Santos

Registaram-se esta sexta-feira mais sete mortes por covid-19 e 469 casos em Portugal, de acordo com o boletim epidemiológico da Direcção-Geral da Saúde (DGS) divulgado neste sábado.

Desde o início da pandemia, o país soma 841.848 infecções confirmadas e 17.006 vítimas mortais.

As sete mortes reportadas na sexta-feira em Portugal representam o valor mais alto em mais de um mês, um indicador da baixa mortalidade que se tem verificado em Portugal. O último dia com mais mortes foi 13 de Abril (relatório de dia 14), quando foram contabilizadas oito. O valor apresentado no boletim deste sábado segue-se a um dia sem mortes por covid-19, o quarto sem vítimas mortais a lamentar desde 25 de Abril.

Há 223 pessoas hospitalizadas, menos 13 do que no dia anterior, sendo que 71 estão nos cuidados intensivos (menos uma).

Foram dadas como recuperadas mais 383 pessoas, aumentando assim o total de recuperações para 802.671. Isto significa que mais de 95% dos casos já recuperaram da doença, sendo que 2,02% resultaram em morte. Excluindo recuperações e óbitos, há neste momento 22.171 casos activos (mais 76 que no dia anterior), cerca de 2,6% dos casos identificados.

Quatro das sete mortes foram reportadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, com as restantes a acontecerem no Centro (duas) e no Norte (uma). Foi nesta última que houve o maior registo de novos casos, com 167 – é também a que soma mais casos desde o início da pandemia, com 338.201. Segue-se a região de Lisboa e Vale do Tejo, com 162, o Centro com 39, a Madeira com 33, os Açores com 29, o Algarve com 22 e o Alentejo com 21.

Os indicadores da matriz de risco, que servem para avaliar o avanço ou recuo no desconfinamento, só são actualizados nos boletins das segundas, quartas e sextas-feiras. Na matriz mais recente, o índice de transmissibilidade – o número de pessoas que são infectadas por alguém – situa-se em 0,95, tanto a nível nacional como continental.

Já a incidência fixa-se nos 50,3 casos de infecção por 100 mil habitantes a 14 dias (48,1 em Portugal continental).