Direito ao esquecimento: “Um sobrevivente de cancro passa a ser um cidadão como os outros”

Margarida Cruz, directora-geral da Acreditar, Associação de Pais e Amigos de Crianças com Cancro, fala da aprovação da lei do direito ao esquecimento

Foto
DR

O que significa a aprovação do direito ao esquecimento?
Significa que um sobrevivente de cancro pediátrico passa a ser um cidadão como os outros nas matérias abrangidas por esta lei. Para os sobreviventes significa que em áreas importantes dos seus direitos, como a dos seguros e esperemos que a laboral, deixarão de ser discriminados.