Direito ao esquecimento para quem teve cancro chega a Portugal

Parlamento aprova esta sexta-feira, na generalidade, projectos-lei para acabar com a discriminação de pessoas que tiveram cancro no acesso a seguros de vida.

Foto
JOSÉ SENA GOULÃO

A 17 de Setembro passado, no congresso do PS-Lisboa, Rita Merenda, uma militante de 42 anos, inscreveu-se para falar e explicou como as pessoas que tiveram cancro continuam a ser discriminadas pela sociedade, nomeadamente pelas seguradoras. Pessoas como Rita, sobrevivente de doença oncológica, estão praticamente impedidas de comprar casa: o acesso ao crédito à habitação obriga a um seguro de vida e a referência à doença do passado torna o seguro impossível. Foi um depoimento que impressionou Miguel Matos, deputado e líder da JS, que se empenhou a apresentar o projecto-lei que esta sexta-feira é discutido na Assembleia da República.