No dia do anúncio do divórcio, Bill Gates transferiu quase 2,4 mil milhões de dólares de acções para Melinda

No mesmo dia em que o casal comunicou o fim do casamento de 27 anos, Bill Gates transferiu acções no valor de quase 2,4 mil milhões de dólares para a mulher, Melinda, informou a SEC.

Foto
Com a transferência, Melinda passou a integrar a lista dos multimilionários da Forbes Reuters/JP Moczulski

A Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC, na sigla original) informou que a Cascade Investment, holding de Bill Gates, transferiu títulos no valor de quase 2,4 mil milhões de dólares (perto de dois mil milhões de euros) para Melinda, na segunda-feira, 3 de Maio. A transferência incluiu acções da AutoNation, da Canadian National Railway Co., da Coca-Cola e da emissora mexicana Grupo Televisa SA. Segundo a Forbes, mesmo após a transferência, Bill Gates continua a ser a quarta pessoa mais rica do mundo. Já Melinda passa a integrar a lista dos multimilionários.

O casal não assinou qualquer acordo pré-nupcial, mas assinou um contrato de separação, cujas cláusulas foram dadas a conhecer ao tribunal que recebeu o pedido de divórcio de maneira a que a divisão de bens, dívidas e responsabilidades seja feita como os dois acordaram naquele documento. E, apesar de Washington ser um estado de propriedade comunitária, em que prevalece a ideia de que quaisquer bens adquiridos durante o casamento sejam propriedade de ambos os parceiros, é muito provável que Bill e Melinda tenham concordado com uma divisão diferente.

“Se dividissem a fortuna 50/50, este seria o maior e mais caro divórcio da história”, avaliou, citada pela ET, a editora da Forbes, Kerry Dolan. Por isso, tanto as transferências como a existência de um contrato de separação levam a crer que isso não acontecerá.

Os filantropos Bill e Melinda Gates anunciaram, na segunda-feira, que se vão divorciar, ao fim de 27 anos de casamento. “Depois de muita reflexão e muito trabalho na relação, decidimos acabar o nosso casamento”, lê-se no comunicado conjunto, no qual destacam o facto de terem criado “três crianças incríveis” e “uma fundação que trabalha por todo o mundo para permitir que as pessoas tenham vidas saudáveis e produtivas”.

O casal conheceu-se em 1987, quando Melinda se juntou à Microsoft como gerente de produto. No mesmo ano começaram a namorar. “Nós gostávamos muito um do outro e havia apenas duas possibilidades: ou íamos separar-nos ou íamos casar-nos”, disse Bill na minissérie documental da Netflix de 2019 Inside Bill’s Brain: Decoding Bill Gates. Depois de Bill fazer “uma lista de prós e contras”, recordava Melinda na série, casaram-se em 1994 em Lanai, uma ilha no Havai. Têm três filhos: Phoebe, de 18 anos, Rory, de 21, e Jennifer, de 25.

Há 21 anos que a Bill & Melinda Gates Foundation se dedica a combater a desigualdade no mundo. Face à pandemia, a fundação destinou um total de 1,75 mil milhões de dólares (cerca de 1,45 mil milhões de euros) à aceleração do desenvolvimento e à distribuição equitativa de testes, tratamentos e vacinas contra a covid-19.