Os imigrantes do Mira não podem ser párias

Se, agora, é fundamental salvar vidas dos imigrantes, a seguir não vai bastar uma resolução que lhes garanta condições mínimas de habitabilidade. Se estão entre nós à luz da lei, têm de ser tratados como iguais

Os 12 mil hectares do perímetro de rega do Mira tornaram-se nos últimos anos um exemplo do sucesso da moderna agricultura portuguesa. A disponibilidade de água e a generosidade do clima são as condições básicas desse sucesso, mas o salto na produção, na certificação de produtos e na exportação foram obra de investimento, ciência e capacidade de inovação das empresas. Com este belo cenário de fundo que ilustra o salto de sectores tradicionais da economia do anacronismo para a globalização, dispensava-se a imagem de milhares de imigrantes forçados a viver em condições degradantes, a subsistir numa permanente precariedade e a tornarem-se alvos fáceis da pandemia.