Ataques dos taliban mataram mais de 100 soldados afegãos em duas semanas

Violência intensificou-se desde que Joe Biden anunciou a retirada total das tropas norte-americanas até 11 de Setembro.

Foto
Soldados afegãos inspecionam o local de uma explosão em Jalalabad GHULAMULLAH HABIB/EPA

Mais de 100 elementos das forças de segurança do Afeganistão foram mortos nas últimas duas semanas em resultado da intensificação dos ataques dos taliban desde que os Estados Unidos anunciaram a retirada de todas as suas tropas até 11 de Setembro.

A onda de violência é, segundo altos funcionários afegãos citados pela Reuters, não só uma demonstração de força como também a tentativa de conquistar território, aproveitando a retirada dos militares da NATO, liderados pelos EUA desde 2001. De acordo com dois altos funcionários, cerca de 120 membros das forças de segurança afegãs, 65 civis e mais de 300 combatentes taliban foram mortos nos combates dos últimos 15 dias de combate e muitos outros ficaram feridos um pouco por todo o país.

Um porta-voz do Ministério do Interior, Tariq Arian, confirmou que os taliban levaram a cabo pelo menos seis atentados suicidas e vários assassinatos selectivos, para além de terem colocado 65 bombas em estradas destinadas a causar baixas pesadas entre as tropas governamentais.

O porta-voz dos taliban, Zabihullah Mujahid, rejeitou por sua vez a alegação do Governo de que o grupo havia infligido baixas entre a população civil, afirmando que estas foram causadas por operações aéreas e terrestres das forças de segurança afegãs. 

A retirada das tropas norte-americanas do Afeganistão estava programada para começar a 1 de Maio, terminando a 11 de Setembro, anunciou o Presidente dos Estados Unidos em meados do mês de Abril. Num discurso à nação a partir da Casa Branca, Biden afirmou que “chegou a altura das tropas americanas regressarem a casa”, fechando assim 20 anos de presença militar ininterrupta, iniciada após os ataques de 11 de Setembro de 2001. A Casa Branca adiantou esta quinta-feira que a retirada já começou.

Desde o anúncio de Joe Biden, a violência não tem parado de aumentar, com ataques dos taliban registados em 21 das 34 províncias do país, afirmou um porta-voz do Ministério da Defesa afegão.