Misericórdia do Porto avança com projecto lúdico e cultural na Prelada

O espaço, cuja filosofia se situa “entre o Parque da Cidade e Serralves”, está apalavrado há anos, mas finalmente tem condições para sair do papel. Nos próximos dois anos, a icónica Quinta da Prelada e a sua envolvente deverão acolher um centro interpretativo sobre Nicolau Nasoni, um parque de autocaravanas, um ecoresort e diversos espaços verdes.

Foto
O pequeno castelo que se ergue junto ao largo é um dos ex-líbris da Quinta da Prelada Teresa Pacheco Miranda

A ideia de converter a Quinta da Prelada, emblemática propriedade do século XVIII situada em Ramalde e concebida por Nicolau Nasoni, num centro cultural e artístico remonta a 2005, pouco antes do encerramento do parque de campismo que funcionou naqueles terrenos durante 45 anos. Na altura, falou-se em instalar ali um espaço de arquivo e restauro da Santa Casa da Misericórdia do Porto (SCMP), que passou a deter o espaço depois de uma doação de D. Francisco de Noronha de Menezes, o último descendente da família nobre que ali viveu. O projecto vai, finalmente, avançar, num modelo semelhante, um parque lúdico e cultural, com um centro interpretativo sobre Nasoni  arquitecto italiano que desenvolveu boa parte da sua obra no Porto , um parque de autocaravanas, um ecoresort e vários espaços verdes.