Comissão permanente do PSD diz que processo contra Rui Rio e Adão Silva é “político e não jurisdicional”

Conselho de jurisdição do partido enviou uma nota de culpa aos dois dirigentes com sanções que podem ir da advertência à expulsão.

Foto
Paulo Pimenta

A comissão permanente do PSD (núcleo duro do líder) acusa o presidente do conselho de jurisdição nacional (CJN), Paulo Colaço, de “estar a prejudicar os superiores interesses” do partido e avisa que “recorrerá a todos os meios ao seu alcance, tanto jurídicos, como políticos, para proteger o bom nome do PSD e salvaguardar a elevação e respeitabilidade dos órgãos nacionais do partido”. A CJN acolheu uma das queixas de um militante que acusa a actual direcção do PSD de ter violado uma deliberação do último congresso por omissão, por não ter proposto a realização de um referendo nacional sobre a eutanásia como preconizado na moção em causa.

Sugerir correcção
Ler 8 comentários