Quatro anos de Trindade festejados a partir de 19 de Abril

A sala portuense regressa com Nomadland, Undine, um ciclo Wong Kar-wai e outro de antestreias para festejar o quarto aniversário da reabertura: Almodóvar, Marighella, Mais uma Rodada...

Foto
"Nomadland– Sobreviver na América" de Chloé Zhao

Juntando-se ao Ideal, ao Nimas e às salas Castello Lopes, o portuense Cinema Trindade já anunciou que regressará à actividade a partir de 19 de Abril. A sala da Invicta aproveita para celebrar o quarto aniversário da sua reabertura de sucesso — ocasião que deveria ter sido comemorada em Fevereiro mas que o confinamento imposto pela covid-19 obrigou a adiar. 

Assim, a par da programação normal, haverá entre 19 e 30 de Abril um ciclo de antestreias sob o título genérico Expectativa ‘21, ao ritmo de um filme por dia, com obras que o Trindade irá exibir ao longo dos próximos meses.

A reabertura da sala do centro do Porto faz-se com as estreias em sessões diárias de Nomadland – Sobreviver na América, de Chloé Zhao, e Undine, de Christian Petzold, completadas pelo regresso do ciclo de filmes restaurados de Wong Kar-wai (Felizes Juntos, de 19 a 23, e 2046, de 26 a 28). Ao mesmo tempo, as sessões “nobres” do fim de tarde serão preenchidas pelas antestreias comemorativas do aniversário, que se iniciam a 19 com Mais uma Rodada, de Thomas Vinterberg (duas nomeações para os Óscares). 

Seguir-se-ão, sempre às 20h (excepto onde indicado) Marighella, de Wagner Moura (terça-feira, 20, 19h15), Caros Camaradas!, de Andrei Konchalovsky (prémio especial do júri em Veneza 2020, quarta-feira, 21), Quo Vadis, Aida?, de Jasmila Zbanic (nomeação ao Óscar de melhor filme estrangeiro, quinta-feira, 22), A Voz Humana, de Pedro Almodóvar (sexta-feira, 23), Na Penumbra, de Sharunas Bartas (segunda-feira, 26, 19h45), L'Homme qui a vendu sa peau, de Kaouther ben Hania (nomeado ao Óscar de melhor filme estrangeiro, terça-feira, 27), In Between Dying, de Hilal Baydarov (quarta-feira, 28), Kitoboy – o Salto do Baleeiro, de Philipp Yuryev (quinta-feira, 29, 20h30), e Hygiène Social, de Denis Côté (sexta, 30, 20h30). 

Ainda durante o mês de Abril, haverá uma sessão especial marcando o lançamento em DVD de O Ornitólogo, de João Pedro Rodrigues, que surgirá numa edição da Nitrato, a distribuidora/exibidora que explora o Trindade, em conjunto com A Última Vez que Vi Macau, da dupla Rodrigues/João Rui Guerra da Mata. A programação comemorativa continuará em Maio com um ciclo especial dedicado ao cinema argentino, incluindo filmes de Agustina Comedi, Jazmín López, Andrés di Tella, Benjamin Naishtat, Eduardo Williams e Martín Rejtman, alguns dos quais chegarão à estreia comercial em Julho. 

Como é regra para as reaberturas nesta segunda fase do desconfinamento, o Trindade terá a sua lotação limitada, com sessões a terminarem às 22h30 de segunda a sexta-feira e às 13h30 aos fins-de-semana e feriados, esperando-se o levantamento das restrições de horários a partir de 3 de Maio.