Um cão presidencial mal-comportado: Major volta a morder funcionário da Casa Branca

É a segunda vez que o pastor alemão de três anos morde, sem gravidade, um funcionário da Casa Branca.

Foto
Major, o pastor alemão de três anos dos Biden Reuters/WHITE HOUSE

Major voltou a morder um funcionário da Casa Branca, disseram duas fontes à CNN. O pastor alemão que a família Biden adoptou de uma associação de animais já tinha mordido um membro da equipa dos Serviços Secretos no início de Março.

O funcionário do Serviço Nacional de Parques, que estava a trabalhar no jardim da Casa Branca, foi visto pela unidade médica da Casa Branca na segunda-feira, depois do incidente, e terá regressado ao trabalho, sem lesões. “Major ainda se está a adaptar ao seu novo ambiente”, disse Michael LaRosa, porta-voz da primeira-dama, à CNN.

Foto
Um funcionário da Casa Branca passeia Major, no dia do acidente, na segunda-feira Reuters

Os dois pastores alemães dos Biden, Major e Champ, regressaram há uma semana à residência oficial do Presidente dos Estados Unidos da América, após terem passado duas semanas na casa onde viviam, em Wilmington, no estado do Delaware, depois de Major ter mordido um segurança do Presidente. O cão de três anos terá sido treinado, depois do primeiro incidente que envolveu um membro da equipa dos Serviços Secretos.

Major é o primeiro cão a mudar-se de um canil para a Casa Branca. E junta-se a uma longa tradição de animais presidenciais. “Vira-se uma esquina, e estão duas pessoas que não se conhece. E [Major] avança para proteger”, defendeu-o Biden, numa entrevista à ABC. “Mas ele é um cão doce. Oitenta e cinco por cento das pessoas ali adoram-no. Tudo o que ele faz é lambê-los e abanar a cauda. Mas... compreensivelmente, algumas pessoas têm medo de cães.”

Um galo de uma só pata foi um dos animais de companhia de Theodore Roosevelt, 26º presidente dos EUA (1901 a 1909) Library of Congress (Biblioteca do Congresso)
O 27º presidente William Howard Taft (1909 a 1913) foi um dos últimos a ter uma vaca na Casa Branca. Na fotografia, Pauline posa em frente ao Eisenhower Executive Office Building, em Washington. Library of Congress (Biblioteca do Congresso)
Laddie Boy foi o primeiro cão famoso da Casa Branca. Foi oferecido ao 29º presidente dos EUA, Warren G. Harding, que serviu de 1921 a 1923. Library of Congress (Biblioteca do Congresso)
Rob Roy entra numa das fotografias da família de Calvin Coolidge, o 30º presidente dos EUA, de 1923 até 1929 Library of Congress (Biblioteca do Congresso)
A primeira-dama Grace Coolidge exibe o seu guaxinim de estimação, que iria fazer parte do banquete do Dia de Acção de Graças Library of Congress (Biblioteca do Congresso)
O responsável pelos canis da Casa Branca, Robert R. Watson, passeia os cães de Herbert Hoover, o 31º presidente dos EUA, entre 1929 e 1933 : King Tut, Whoopie e Englehurst Gillette Library of Congress (Biblioteca do Congresso)
Esta coleira pertencia a Fala, um Scottish Terrier que se tornou num dos mais famosos cães presidenciais e o único a ser imortalizado numa estátua que pode ser vista no Franklin Delano Roosevelt Memorial, em Washington Domínio público
A família Kennedy no que os amantes de cães chamariam de paraíso. Durante o seu mandato, John F. Kennedy teve vários animais de companhia. Domínio público
O 36º Presidente dos EUA, Lyndon B. Johnson, e Yuki faziam tudo juntos. Presidential Pet Museum
Presidente Ford (1974 a 1977) com a sua labradora, Liberty Domínio público
Ronald Reagan a ser puxado por Lucky enquanto a antiga primeira-ministra inglesa Margaret Thatcher se ri. Presidential Pet Museum
A primeira-dama Barbara Bush dá festinhas a Millie, a cadela dos Bush que teve cachorrinhos na Casa Branca, em 1989. Rick Wilking/Reuters
Socks, o gato, a seguir o dono Bill Clinton. Stephen Jaffe/Reuters
Socks não ficou particularmente contente quando a família Clinton ganhou um novo membro: o cão Buddy Rick Wilking/Reuters
Ms. Beazley, um dos Scottish terriers dos Bush, examina as próteses de um soldado norte-americano cujas pernas foram amputadas no Iraque. Larry Downing
Talvez uma das mais famosas fotografias de Pete Souza, o fotojornalista norte-americano lusodescendente e ex-director do Gabinete de Fotografia da Casa Branca. Obama corre com Bo, um dos dois cães de água portugueses que recebeu durante o mandato presidencial Pete Souza/The White House
Bo e Sunny, os cães da família Obama, a descansar num relvado da Casa Branca Pete Souza/The White House
Depois de quatro anos sem cães, a Casa Branca prepara-se para receber os dois pastores alemães de Joe Biden, o presidente eleito dos Estados Unidos da América. DR
Fotogaleria
P3