Morte de George Floyd começa a ser julgada, com racismo e polícia no banco dos réus

Durante as próximas semanas, os EUA vão voltar a sentir a ansiedade que marcou o julgamento dos polícias que espancaram Rodney King em 1992. “Temos de rezar para que a América esteja à altura dos seus ideais”, diz a família de George Floyd.

Foto
Derek Chauvin, em primeiro plano, com o seu advogado, Eric Nelson Reuters/POOL

A primeira sessão do julgamento mais mediático das últimas três décadas nos EUA, em que o polícia branco Derek Chauvin é acusado de matar o cidadão negro George Floyd durante uma detenção na cidade de Mineápolis, em Maio de 2020, ficou marcada pela transmissão de um vídeo com quase dez minutos de duração, poucas vezes transmitido pelas televisões, onde se vê Floyd a suplicar até ao último suspiro perante os gritos e a revolta de várias testemunhas.