Projecto de investigação com jornalistas do PÚBLICO entre os selecionados pelas Bolsas da Gulbenkian

A Fundação Calouste Gulbenkian atribuiu dez bolsas de investigação jornalística na terceira edição do concurso.

Foto
Miguel Manso

Foram conhecidos nesta semana os nomes dos dez vencedores da 3.ª edição das bolsas de investigação jornalística promovidas pela Fundação Calouste Gulbenkian, com base em 66 projectos candidatos. A fundação financia, através destas bolsas, a realização de trabalhos de investigação “em áreas como a política, economia, questões sociais, culturais ou históricas”.

Nesta terceira edição, os jornalistas do PÚBLICO Ruben MartinsCarlos Cipriano e Rui Barros, a que se junta o jornalista do Dinheiro Vivo Diogo Ferreira Nunes, são os autores de um dos projectos vencedores. Este projecto deverá ser publicado no espaço de um ano nos dois órgãos de comunicação social.

Ao longo da história das bolsas da Gulbenkian, o PÚBLICO já publicou vários trabalhos financiados: "Investigar a Europa” do jornalista Paulo Pena, "No Sótão da Bombarda” de Catarina Gomes e "Portugal em Fuga” de Vanessa Rato.

Os restantes jornalistas vencedores das bolsas de investigação jornalística 2020 são:

  • José Manuel Barata-Feyo (que também é provedor do leitor do PÚBLICO);
  • José Vegar;
  • Inês Serra Lopes;
  • Maria Inês Rocha;
  • Micael Pereira;
  • Pedro Coelho;
  • Raquel Albuquerque;
  • Rui Ferreira;
  • Vitalino José Santos.

Dos projectos seleccionados, oito têm como base de publicação a imprensa escrita. Há ainda um projecto de televisão e um de rádio.

O júri desta terceira edição foi constituído por António Granado, Cândida Pinto, Cristina Ferreira (jornalista do PÚBLICO), João Garcia, e José Pedro Castanheira e Maria Flor Pedroso.