Rt está nos 0,8. Lisboa e Vale do Tejo tem taxa de incidência acima dos 120 impostos pelo Governo

Todas as regiões apresentam a taxa de incidência acumulada abaixo dos 120 novos casos de covid por 100 mil habitantes, com excepção de Lisboa e Vale do Tejo que está nos 125 por 100 mil habitantes.

O índice de transmissão (Rt) do SARS-CoV-2, a nível nacional, estava em 0,8 entre os dias 3 e 7 de Março, segundo o relatório do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (Insa) publicado esta sexta-feira. Este é um dos indicadores usados para controlo da pandemia, a par da taxa de incidência de novos casos a 14 dias por 100 mil habitantes. Todas as regiões apresentam a taxa de incidência acumulada abaixo dos 120 casos por 100 mil habitantes – valor de referência dado pelo Governo para o país poder desconfinar –, com excepção de Lisboa e Vale do Tejo que está nos 125 por 100 mil habitantes.

É a região do Algarve que apresenta o Rt mais baixo e os Açores que tem o valor mais alto deste indicador. Segundo o relatório, foram estimados um Rt de 0,77 na região Norte, 0,78 no Centro, 0,75 em Lisboa e Vale do Tejo, 0,72 no Alentejo, 0,68 no Algarve e 0,95 na região autónoma dos Açores. Para o continente, a estimativa foi de 0,75.

Ao contrário do que é habitual, o documento não traz dados sobre a região autónoma da Madeira “devido à introdução de um elevado número de notificações em atraso na base de dados do SINAVE, o que impede uma interpretação correcta dos resultados”. O cálculo será retomado “assim que esta situação estiver ultrapassada”, explica o Insa.

PÚBLICO -
Aumentar

“Todas as regiões do país apresentam a média do índice de transmissibilidade (cinco dias) abaixo de 1, sugerindo um claro decréscimo da incidência de SARS-CoV-2”, lê-se na análise, que deixa um alerta ao fazer avaliação mais pormenorizada sobre a evolução deste indicador desde o início da pandemia: “Desde o dia 10/02/2021 que se observa um estabilizar do R(t) com um ligeiro aumento, de 0,61 para 0,84 (07.03.2021), o que sugere um desacelerar da tendência de decrescimento da incidência de SARS-CoV-2.”

Quanto à taxa de incidência de novos casos acumulada a 14 dias – outro dos referenciais importantes dado pelos especialistas para controlo da evolução da pandemia , “todas as regiões apresentam a taxa de incidência acumulada abaixo dos 120 casos por 100.000 habitantes, com excepção da Região de Lisboa e Vale do Tejo (125,5 casos por 100.000 habitantes)”.

Segundo o relatório, a taxa de incidência nacional é de 110,3 por 100 mil habitantes, sendo a do continente 97,5. Já por regiões, no Norte é de 75,8 por 100 mil habitantes, no Centro 88,3, em Lisboa e Vale do Tejo 125,5, Alentejo 94,9, no Algarve 85,3 e nos Açores 40,8.