Lewandowski amplia vantagem sobre Ronaldo

Goleador polaco do Bayern Munique fez um hat-trick frente ao Dortmund e está mais isolado na luta pela Bota de Ouro europeia.

Foto
Ronaldo abraça Lewandowski nos Globe Soccer Awards, em Dezembro de 2020, no Dubai Reuters/CHRISTOPHER PIKE

O grande “Der Klassiker” (“O Clássico”) do campeonato alemão entre o Bayern Munique e o Borrussia de Dortmund não desiludiu ninguém. Muitos golos, emoção, com uma reviravolta no marcador (4-2) que manteve os bávaros isolados no topo da classificação. Foi também um embate entre os maiores goleadores das duas equipas, Robert Lewandowski e Erling Braut Haaland, autores de cinco golos. O polaco assinou um hat-trick, que o colocou mais solitário no topo dos candidatos à Bola de Ouro europeia, que premeia o melhor marcador dos campeonatos dos países da UEFA. Tem agora uma vantagem de 11 golos para Cristiano Ronaldo, que ocupa a segunda posição.

Vencedor das edições de 2007–08, 2010–11, 2013–14 (em igualdade com o uruguaio Luis Suárez) e 2014–15, o madeirense da Juventus, de 36 anos - que não alinhou de início na recepção à Lazio deste sábado (3-1) -, soma 20 golos. Bem atrás dos 31 de Lewandowski, de 32 anos, que nunca ganhou este troféu atribuído pela European Sports Media, grupo que integra o jornal português A Bola.

Mas quem começou por brilhar no “Der Klassiker” da segunda volta da Bundesliga foi o jovem prodígio norueguês, de apenas 20 anos, Erling Haaland. O ponta-de-lança do Dortmund colocou a sua equipa na frente do marcador, apontando dois golos ainda antes dos dez minutos (2’ e 9’), gelando a Arena de Munique.

Do outro lado, Lewandowski respondeu com a habitual frieza e letalidade. Aos 26’, reduziu a diferença e empatou o encontro, na cobrança de uma grande penalidade, em cima do intervalo. A divisão de pontos parecia ser o desfecho provável, mas, a dois minutos do final, o alemão Leon Goretzka colocou o Bayern pela primeira vez na frente do marcador.

Antes do apito final, o polaco confirmou o triunfo bávaro, mantendo a equipa da casa no comando da Bundesliga, com dois pontos de vantagem sobre o Leipzig, que batera fora o Friburgo, por 3-0. Com mais este desaire, o Dortmund caiu para a sexta posição e abandonou, para já, os lugares de qualificação para as provas da UEFA.

Já Lewandowski provou que está em excelente forma e com muita pontaria nesta fase da temporada, somando cinco golos nas duas últimas partidas da Bundesliga e oito nos últimos cinco encontros consecutivos. No total, em todas as competições em que está envolvido, já chegou aos 39 golos em 37 jogos, incluindo dois ao serviço da selecção polaca em quatro presenças na Liga das Nações. A Bota de Ouro de 2020-21 está mais próxima de se juntar ao troféu “The Best”, atribuído pela FIFA, que o distinguiu como o melhor jogador de 2019-20, superando Ronaldo e Lionel Messi.

Morata brilha na Juve

Em vésperas de receber o FC Porto para a segunda mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões (esta terça-feira, pelas 20h, com transmissão na TVI), onde tem de recuperar de uma derrota por 2-1 no Dragão, Ronaldo foi poupado grande parte do encontro frente à Lazio, entrando apenas aos 69’. Interrompeu, assim, um ciclo de três jogos consecutivos a marcar.

Nas contas globais, a diferença do português para Lewandowski não é tão acentuada. Leva 30 golos em 36 partidas, dois dos quais ao serviço de Portugal, também na Liga das Nações.

A jogar em casa, a Juventus viu-se em desvantagem aos 14’, com um golo de Joaquin Correa, mas conseguiu dar a volta ao marcador. Com Ronaldo no banco, quem ia brilhando na equipa de Turim era o espanhol Álvaro Morata. Assistiu Adrien Rabiot para o empate, a seis minutos do intervalo, bisando ele próprio na segunda metade (57’ e 60’), apontando o último golo na cobrança de uma grande penalidade, uma prerrogativa que costuma ser do madeirense.