Depois dos voos para lado nenhum, chegam os “voos-mistério”

Qantas anuncia voos sem revelar o destino australiano. O que serão estes misteriosos voos para viajantes com saudades de voar?

Foto
Reuters/Tim Wimborne

Primeiro, surgiram os voos para lugar nenhum. Agora, a Qantas planeia “voos-mistério”. A companhia aérea australiana anunciou o seu plano: três voos para destinos domésticos não especificados, destinados a quem tem saudades de voar e não vai poder viajar para fora do país.

O anúncio é feito um dia depois de o Governo anunciar que o encerramento da fronteira internacional do país se prolongaria pelo menos até Junho, noticiou o Sydney Morning Herald.

Os viajantes dos voos-mistério darão por si a cerca de duas horas de distância dos aeroportos de embarque em Brisbane, Melbourne e Sydney. Além de “sobrevoos panorâmicos a baixa altitude sobre os principais pontos de referência da rota”, as viagens incluirão um dia inteiro de actividades em terra.

A companhia aérea exemplifica que estas podem incluir um curso de vinhos ou música ao vivo numa ilha tropical — e promete dar pistas aos passageiros para que saibam o que vestir e pôr na mala.

Os voos da Qantas são um regresso a uma era anterior: a companhia aérea ofereceu voos-mistério pela última vez na década de 1990, e outras companhias aéreas na Austrália e na Alemanha realizaram excursões semelhantes em anos anteriores. Mas a nova opção, que inclui uma viagem em Março, Abril e Maio, é uma adaptação aos tempos da pandemia, já que os australianos, na sua larga maioria, não têm autorização para sair do país — e também enfrentaram restrições nas viagens domésticas.

“Os nossos clientes dizem-nos que não saberem para onde podem ou não viajar dentro da Austrália tem sido em si mesmo um mistério ultimamente”, diz Stephanie Tully, directora do Apoio ao Cliente do Qantas Group, num comunicado à imprensa. “O lançamento da vacina está a trazer muito mais certezas e as restrições de fronteiras domésticas em breve serão coisa do passado. Enquanto isso não acontece, estes voos transformam esse mistério em algo positivo, criando uma experiência única para muitas pessoas que desejam recomeçar a viajar.”

A companhia aérea indica que os voos também visam promover o turismo em partes do país que foram duramente atingidas pela perda de viajantes desde o ano passado.

O voo está longe de ser barato: as tarifas, que incluem refeições, bebidas e experiências, custam cerca de 480 euros para um lugar na classe económica e mais de mil euros em classe executiva. A Qantas anuncia ainda que vai compensar as emissões de carbono de todos os três voos.

As companhias aéreas têm tentado encontrar maneiras de encorajar os viajantes a satisfazerem o seu desejo de viajar — e ganhar algum dinheiro —, já que a pandemia deixou a maioria dos aviões em terra. Um anterior “voo para lugar nenhum” turístico que a Qantas realizou em Outubro esgotou em dez minutos.