Aeroportos portugueses entre os melhores da Europa, incluindo nas medidas de higiene

Prémios da Airports Council International, baseados nas experiências dos passageiros, colocam aeroportos de Portugal entre os melhores nas suas categorias. A pandemia, além da grande redução de tráfego, trouxe um novo critério, o das medidas de higiene: Porto, Faro, Madeira e Ponta Delgada estão entre estes vencedores.

Foto
O Aeroporto do Porto está entre os distinguidos Nelson Garrido

São os prémios anuais da organização que, na Europa, “representa mais de 500 aeroportos em 46 países”. Depois de quase um ano de pandemia, a Airports Council International (ACI) decidiu, ainda assim e apesar da grande redução em tráfego e clientes – no caso de Portugal, registou-se menos 69,6% de passageiros –, premiar os aeroportos que mais se destacaram, com base em questionários individuais a utilizadores destas infra-estruturas. Lisboa, Porto, Faro, Funchal e Ponta Delgada estão entre os vencedores das várias categorias. 

O aeroporto de Ponta Delgada (João Paulo II) surge entre os melhores com menos de dois milhões de passageiros por ano. Entre cinco e 15 milhões, encontram-se Porto (vencedor noutros anos) e Faro. No sector que recebe entre 25 e 40 milhões, está Lisboa – que tinha sido premiado como o melhor em 2020

“A pandemia de covid-19 teve um efeito dramático no tráfego global de passageiros em 2020, assim como alterou as percepções e expectativas dos clientes no que concerne a experiência de aeroporto”, assinala a ACI em comunicado. Por isso mesmo, surgiu uma nova categoria de análise e de prémios, relacionada com as medidas de higiene em vigor em cada local.

Na categoria de “Melhores Medidas de Higiene na Europa", a associação incluiu os aeroportos de Faro, Ponta Delgada, Madeira e Porto. Com mais distinções neste critério, só a Espanha (seis), completando-se a lista com aeroportos na Sérvia, Finlândia, Islândia, Macedónia do Norte e Estónia.

“Este foi o ano mais duro na história da nossa indústria”, diz Olivier Jankovec, director-geral da ACI Europa, citado em comunicado. “Os efeitos da pandemia fizeram-se sentir fortemente, com os números a despencarem, a força de trabalho reduzida, comunidades paralisadas por restrições de viagens”, acrescenta, enaltecendo os que na “comunidade aeroportuária continuam a oferecer excelência apesar da adversidade”.

Já a Vinci Airports, gestora da ANA Aeroportos de Portugal, em nota à imprensa destacando os prémios, sublinha que apostou na inovação dos processos de contacto com os passageiros em todos os momentos de interacção, algo que permitiu manter os aeroportos portugueses totalmente operacionais ao longo do último ano”. “Estes prémios indicam-nos que estamos no caminho certo para a retoma do mercado da aviação, com a confiança necessária na nova experiência do passageiro”, comenta Thierry Liggonière, CEO da ANA.

Segundo a ACI, os Airport Service Quality Awards (Qualidade dos Serviços Aeroportuários) foram distribuídos, este ano, por 89 aeroportos, num total de 108 distinções. Estas são decididas através de estudos de satisfação dos utilizadores, que respondem a 34 indicadores-chave de performance. Anualmente, a organização realiza cerca de 640 mil inquéritos individuais em 91 países, indicam.