Nova interface na estação de metro de S. João vai permitir “acelerar” a Linha Amarela

Está prevista a contrução de uma cobertura na estação de São João e de duas lojas Andante, uma no final da linha e outra no Pólo Universitário. A intervenção terá um custo de 3 milhões de euros.

Foto
Nelson Garrido

A Metro do Porto anunciou, esta sexta-feira, um concurso público para a remodelação das estações do Hospital de S. João e do Pólo Universitário. A construção, que terá um impacto de 3 milhões de euros, financiados pelo Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente e da Acção Climática e pela Câmara Municipal do Porto, prevê a criação de uma interface coberta na estação do Hospital de S. João, bem como uma loja Andante e uma cafetaria nas duas estações.

Quando as obras estiverem concluídas, a Metro do Porto acredita que conseguirá fazer circular na Linha Amarela 16 veículos por hora, em comparação com os 11 actuais. Este aumento permitiria servir cerca de 15 mil clientes por hora, reduzindo o tempo de espera entre metropolitanos para 3 minutos e meio, lê-se em comunicado.

A intervenção foi projectada pelo arquitecto Adalberto Dias e os candidatos à execução da obra devem entregar as suas propostas até 29 de Março. A Metro do Porto aponta, ainda, o segundo trimestre como a data de início das obras, de forma “a rentabilizar este período de menor procura”, decorrente das restrições pandémicas, com uma duração prevista de seis meses. O objectivo é “fazer coincidir a disponibilização dos novos equipamentos com o arranque de um novo ano lectivo no ensino superior”, previsto para o mês de Outubro.

Para além disso, o projecto pretende ainda melhorar as condições de ligação entre a Linha Amarela e os autocarros da Sociedade de Transportes Colectivos do Porto (SCPT) e outros operadores que actuam na zona.