Covid-19: festival Às Vezes o Amor adiado para Abril e Maio

Também os festivais Sons de Vez, em Arcos de Valdevez, e Porta-Jazz, no porto, cancelaram ou vão alterar as datas dos seus programas.

Foto
Os GNR actuarão a 29 de Abril no Teatro Municipal de Vila do Conde, primeiro dia do festival DR

O festival Às Vezes o Amor, previsto para Fevereiro em várias cidades, foi adiado para Abril e Maio, com um dos concertos a acontecer em Julho e três outros ainda sem dia marcado, anunciou a organização esta terça-feira.

“Devido à actual situação pandémica e à impossibilidade da reabertura das salas de espectáculos nas próximas semanas e consequente realização de concertos ao vivo, o Festival Montepio Às Vezes o Amor vê-se obrigado a adiar as suas datas”, indicou a organização em comunicado. Assim, o primeiro dia de concertos do festival que se distribui por múltiplas cidades portuguesas passa a ser 29 de Abril, quando sobe ao palco do Coliseu do Porto o projecto Deixem o Pimba em Paz e se realiza a primeira de duas datas dos GNR no Teatro Municipal de Vila do Conde.

A 1 de Maio, Bruno Nogueira, Manuela Azevedo e Filipe Melo levam Deixem o Pimba em Paz ao Coliseu dos Recreios, em Lisboa, enquanto os Moonspell apresentam o mais recente álbum, Hermitage, no Cine-Teatro Avenida, em Castelo Branco. No dia 14 desse mês, Luísa Sobral actua no Cine-Teatro Paraíso, em Tomar, e Sara Tavares canta no Sá da Bandeira, em Santarém. Um dia depois, Paulo Gonzo sobe ao palco do Teatro Virgínia, em Torres Novas, enquanto Tiago Nacarato & Bárbara Tinoco dão o primeiro de dois concertos no Teatro José Lúcio da Silva, em Leiria, nos mesmos dias de Fernando Daniel no Auditório Carlos do Carmo, em Lagoa.

Jorge Palma vai actuar no Centro Cultural e de Congressos das Caldas da Rainha, no dia 16 de Maio, estando, por enquanto, a última data do Às Vezes o Amor reservada para Salvador Sobral no Convento São Francisco, em Coimbra, no dia 31 de Julho. As novas datas ainda por anunciar são as de João Pedro Pais no Coliseu Micaelense, em Ponta Delgada, de Aurea, no Fórum Municipal Luísa Todi, em Setúbal, e de Carlão, no Teatro Aveirense.

O adiamento acontece dias depois de o festival Sons de Vez, em Arcos de Valdevez, ter também anunciado o cancelamento de parte da programação e de a organização do festival Porta-Jazz, no Porto, ter dito que estava em negociações para tentar perceber qual será a “nova data/formato” em que decorrerá a 11.ª edição do evento. Sons de Vez e Porta-Jazz seriam os dois primeiros festivais do ano.

Os equipamentos culturais estão encerrados desde 15 de Janeiro, em Portugal Continental, no âmbito das medidas decretadas pelo Governo para tentar conter a pandemia da covid-19. O mesmo já tinha acontecido no ano passado. No entanto, em 2020, os espectáculos começaram a ser adiados ou cancelados em Março, ainda antes de decretado o encerramento das salas.