Mundo ultrapassa 100 milhões de casos de covid-19. Pandemia duplicou em três meses

Dados são da universidade norte-americana Johns Hopkins, que acompanha evolução mundial da pandemia desde os primeiros casos.

Foto
Já morreram mais de dois milhões de pessoas com covid-19 Paulo Pimenta

O mundo ultrapassou, esta terça-feira, mais de 100 milhões de casos de infecção por covid-19 desde o início da pandemia. De acordo com os dados do barómetro da universidade norte-americana Johns Hopkins, que acompanha a pandemia do novo coronavírus desde os casos iniciais, são agora 100.032.461 infecções confirmadas desde o primeiro surto do vírus, na cidade chinesa de Wuhan.

Os Estados Unidos são o país com maior número de casos registados desde Fevereiro de 2020, com mais de 25 milhões de infecções. A Índia, com 10,6 milhões de casos é a segunda nesta lista, seguida de Brasil (com mais de 8,8 milhões de casos) e Rússia (com cerca de 3,7 milhões de casos).

Convém ressalvar que, das mais de 100 milhões de infecções detectadas, contam-se mais de 55,2 milhões de recuperados. Há ainda a contabilizar 2,1 milhões de mortes provocadas pela infecção.

Foi no segundo dia de Abril que o mundo contou um milhão de casos de covid-19, um vírus que já se tina espalhado por todos os continentes. A partir desse momento, a transmissão do SARS-CoV-2 disparou, demorando menos de duas semanas para que o número de infectados chegasse a dois milhões. A infecção não abrandou e, pouco mais de dois meses depois, a 28 de Junho, o mundo saltou de dois para dez milhões de infecções. A pandemia continuou a multiplicar-se sem abrandamento nos meses seguintes: a título de exemplo, foi registado um milhão de novos casos em apenas 100 horas, entre os dias 13 e 18 de Julho.

Nos últimos três meses, a pandemia duplicou: no dia 8 de Novembro registaram-se 50 milhões de infecções, metade das que são contabilizadas esta terça-feira.