PJ já deteve pelo menos cinco pessoas por pornografia infantil desde o início do ano

Esta terça-feira autoridades detiveram um homem no Porto e outro em Ponta Delgada.

Foto
LUSA/ANTÓNIO PEDRO SANTOS

A Polícia Judiciária deteve esta terça-feira mais duas pessoas pelo crime de pornografia de menores. São pelo menos cinco desde o início do ano.

O Departamento de Investigação Criminal dos Açores procedeu à identificação e detenção de um homem de 53 anos. No mesmo dia, a Directoria do Norte identificou e deteve no Porto um homem de 34 anos.

Houve busca domiciliária em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel. Naquela diligência, as autoridades encontraram e apreenderam “equipamento informático, contendo diversas fotografias e vídeos, onde se visualizam menores de 14 anos de idade, em poses e actividades pornográficas”.

Também houve busca domiciliária no Porto. “Na sequência de diligências de obtenção de prova realizadas, foi possível detectar na sua posse inúmeras imagens de pornografia envolvendo menores”, lê-se no comunicado emitido esta quarta-feira. O homem terá sido apanhado em flagrante.

Este segundo caso começou com uma sinalização protagonizada por entidades internacionais. Houve partilha de conteúdo ilícito em plataformas digitais a partir de acessos registados em Portugal. A investigação conduziu ao homem agora detido, que praticaria este crime pelo menos desde Março de 2019

O fenómeno está a crescer, sobretudo desde que começou a pandemia de covid-19. E isso vê-se no número de investigações abertas por actividade suspeita online. “Em 2017 e 2018 andávamos nas quatro centenas e meia e em 2019 tivemos um aumento significativo para as nove centenas e em 2020 passámos para os dois milhares.”, disse segunda-feira Carlos Farinho, director nacional adjunto da Polícia Judiciária.

No ano passado, foram detidas 32 pessoas pelo crime de pornografia de crianças e jovens. Na investigação de algumas das outras 141 detidas por crimes sexuais contra menores de idade também surgem tais práticas.