Costa reúne-se com ministros da Educação, Presidência, Ensino Superior e Saúde para discutir fecho de escolas

Decisão final só deverá ser tomada na reunião do Conselho de Ministros desta quinta-feira. Mariana Viera da Silva e Marta Temido estiveram antes reunidas com epidemiologistas.

Foto
Nuno Ferreira Santos

O primeiro-ministro, António Costa reuniu-se na noite desta quarta-feira com o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, assim como a ministra da Saúde, Marta Temido e com o ministro do Ensino Superior Manuel Heitor, noticiou a TSF e confirmou o PÚBLICO junto de fonte do Ministério da Educação. Em cima da mesa, apurou o PÚBLICO, está a decisão de encerrar ou não as escolas face à evolução da pandemia, marcada pelo aumento exponencial de novos casos de infecção e mortes por covid-19.

A decisão final, porém, só deverá ser tomada na reunião de Conselho de Ministros desta quinta-feira. A ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, e a ministra da Saúde, Marta Temido, já tinham estado reunidas na tarde desta quarta-feira, por videoconferência, com “os peritos habitualmente auscultados nas reuniões do Infarmed para uma avaliação da actual situação epidemiológica”, confirmou a Presidência do Conselho de Ministros na sua conta de Twitter.

Na mesma nota, explicavam que a reunião tinha sido fundamental “para perceber e analisar a evolução recente da pandemia, nomeadamente no que respeita à presença da nova estirpe da covid-19, tendo em atenção possíveis medidas a adoptar para inverter o crescimento acelerado da infecção”. Não adiantava, porém, qualquer indicação sobre possíveis medidas. Só depois desta reunião é que as duas ministras e os restantes governantes se reuniram com o primeiro-ministro António Costa, que esteve antes no Parlamento Europeu, em Bruxelas.

Marcelo Rebelo de Sousa já tinha deixado claro, nesta quarta-feira em Lisboa, em resposta aos alunos que o interpelaram durante uma acção de campanha no Liceu Pedro Nunes, que a questão do encerramento ou não das escolas seria “tomada nas próximas horas”. “Neste momento, temos dois dados novos: a variante britânica e saber se a disseminação social está a chegar às escolas a um ritmo tal que coloca em causa a actividade normal. É isso que tem de ser ponderado”, afirmou.

A partir de Bruxelas, António Costa confirmou que falou com o Presidente da República e comentou os números do dia, considerando-os “particularmente dramáticos e demonstrativos da gravidade da situação que existe no país”, mas admitindo que “é cedo para tirar conclusões finais sobre as medidas” tomadas pelo Governo.

“Nós não podemos tomar decisões conforme as pressões. Nós temos de ir tomando as decisões em função daquilo que são as realidades efectivas e qual é a dinâmica efectiva”, declarou lembrando que esta quinta-feira há Conselho de Ministros.

Os directores das escolas públicas continuam a considerar que os alunos estão seguros nos estabelecimentos de ensino, mas admitem que o combate à nova vaga da pandemia pode implicar suspender as aulas presenciais, tal como aconteceu no ano passado. Se o Governo decidir nesse sentido, esperam que pelo menos os estudantes do 1.º e 2.º ciclos possam ser poupados a ter aulas à distância.