Um momento de publicação independente: Mecónio

Fanzines, edições de autor, livros de artista — nesta rubrica queremos falar de publicação independente. Margarida Azevedo apresenta Mecónio.

Foto

Apresenta-nos a tua publicação.
Mecónio é um zine que nasce pelas mãos de Ricardo Leiria e Margarida Azevedo. Inclui reviews de discos, entrevistas, fotografia, poesia e contos. A nota editorial do primeiro número (lançado em Setembro de 2020) enquadra o zine, tendo contado com o Rui Baião e a Maria Santos como convidados: “O zine Mecónio surge da vontade de querer ter espaço próprio que nos permita partilhar o que nos influencia, o que gostamos e trabalhos que temos vindo a desenvolver. Convidamos a participar artistas que seguimos (...). Da literatura e poesia, às artes visuais abrimos espaço para tudo. Porquê Mecónio? Na verdade, Mecónio representa para nós o nascimento daquilo que pode vir a ser uma grande merda, ou não. Olhamos para este zine com o orgulho que qualquer mãe e pai sentem quando o seu bebé faz o seu primeiro cocó fora do ventre. É aquele momento em que a pediatra chega e diz que está tudo bem. Esse primeiro cocó é crucial nos primeiros dias de vida, e assim é esta zine ─ um primeiro cocó importante no desenvolvimento dos nossos projectos”.

Pelas mãos dos autores nasceu também o livro Orfeu e os seus avôs em busca do Tósão. Uma comédia pornográfica gay que, além da preocupação com o texto, se destaca pelo livro objecto. O texto é dela, as fotomontagens são dele. As fotografias saem, literalmente, do livro, com pormenores que se revelaram essenciais ao objecto. É feito de fio a pavio pelos dois: paginação, impressão, encadernação (cosido e capa dura), corte e montagem. Arriscaram e o resultado foi uma primeira edição esgotada e uma segunda a caminho. 

Quem são os autores?
O Ricardo Leiria e a Margarida Azevedo desenvolvem trabalho em conjunto há cerca de sete anos. A editora Dark Owl nasceu em Outubro de 2019 com a edição do livro acima mencionado. Ele é artista plástico de formação, ela formada em Ciências de Comunicação e a tirar mestrado em Edição de Texto.  A Margarida nutre a paixão pela escrita, o Ricardo pelo design e artes gráficas e os dois pela leitura. Do esforço conjunto surgiu a vontade de criarem o livro, depois o zine. Com o zine pretendem ter uma publicação regular e ligada às artes.

Do que quiseram falar?
Do nosso olhar sobre as artes. Estamos os dois ligados à música e à escrita. Fotografia, literatura, desenho, música - estes são os temas principais do primeiro número. Partilhar trabalhos nossos e dos artistas que seguimos e que admiramos. Consideramos que a interdisciplinaridade é fundamental na forma como desenvolvemos os projectos. 

Questões técnicas: quais os materiais usados, quantas páginas tem, qual a tiragem e que cores foram utilizadas?
O Mecónio é em formato A5, com 36 páginas, miolo IOR 90 grs a preto e branco e capa couché 180 grs a cores. Tiragem de 50 exemplares. Cada exemplar vem acompanhado de uma fotografia, assinada e numerada. São 50 fotografias diferentes tiradas pelo Ricardo em formato 10x15. Queremos agradecer à Gráfica Digital ARP pelo excelente trabalho de impressão do zine e pelo profissionalismo.

Onde está à venda e qual o preço?
Podem encomendar pelo email darkowl.shop@gmail.com ou por mensagem privada na página de Facebook da Dark Owl. Custa 5 euros, mais portes de envio. Também a encontram na livraria Snob, em Lisboa.

Foto
dr

Porquê fazer e lançar edições hoje em dia?
Lançar este zine foi um desafio. É uma forma de divulgar trabalhos próprios e de artistas que seguimos e que gostamos na sua abordagem à arte. É um objecto a que dedicámos tempo na sua concepção e paginação e que prima pela qualidade do objecto e do conteúdo. Os zines são, por excelência, um formato que permite liberdade na selecção dos conteúdos, na sua apresentação e na divulgação de temáticas variadas e isso torna-os interessantes de acompanhar.

Recomenda-nos uma edição de autor recente lançada em Portugal.  
Seguimos edições independentes e diferentes. Recomendamos Paciente zero de Rui Baião pela editora Barco Bêbado.