Em Moura, a imensidão da Herdade da Contenda abre-se ao turismo

Zona de disputas territoriais entre portugueses e espanhóis, a Herdade da Contenda é hoje uma paisagem de montado, estevais e floresta que dá abrigo a muitas espécies, incluindo o veado, o muflão ou o raro abutre-preto. Agora, a autarquia de Moura quer abrir a propriedade ao turismo, com passeios guiados e alojamento local.

alentejo,turismo,ambiente,linceiberico,conservacao-natureza,biodiversidade,
Fotogaleria
DR/Herdade da Contenda
alentejo,turismo,ambiente,linceiberico,conservacao-natureza,biodiversidade,
Fotogaleria
DR/Herdade da Contenda
alentejo,turismo,ambiente,linceiberico,conservacao-natureza,biodiversidade,
Fotogaleria
DR/Herdade da Contenda
alentejo,turismo,ambiente,linceiberico,conservacao-natureza,biodiversidade,
Fotogaleria
DR/Herdade da Contenda
Cervo
Fotogaleria
DR/Herdade da Contenda

Só o Alentejo é capaz de traduzir esta imensidão. Estamos no alto do posto de vigia, com guarida permanente de Maio a Novembro. Para onde quer que olhemos, o horizonte devolve-nos terras de contenda. Durante mais de seis séculos, todo este território foi zona de disputa entre portugueses e espanhóis, explorada e debatida por gente de uma nação e de outra. A fronteira dançava ao sabor das querelas, inchando e encolhendo um país e o outro. Foi a última linha a quedar-se definitivamente no mapa da Ibéria, em 1893, com o mesmo Tratado de Madrid que decidiu que a vizinha Barrancos haveria de ser portuguesa.