Há um mês no Supremo dos EUA, Amy Coney Barrett já deixou a sua marca

Juíza nomeada pelo Presidente Donald Trump foi decisiva para limitar a autoridade dos estados no combate à pandemia. E a sua posição sobre a Segunda Emenda pode levantar restrições à compra e posse de armas por pessoas com cadastro.

Foto
Barrett, de 48 anos, é a juíza mais jovem do Supremo Tribunal norte-americano Reuters

No Verão de 2016, na semana de Julho em que Donald Trump ia ser confirmado como candidato do Partido Republicano à Casa Branca, o então governador do Indiana, Mike Pence, aceitava a sua nomeação como candidato a vice-presidente com um discurso premonitório: “À medida que a eleição se aproxima, temos de perceber que, embora estejamos a eleger um Presidente para os próximos quatro anos, vamos definir um Supremo Tribunal para os próximos 40.”