Recolhimento obrigatório e limite de pessoas: como Alemanha e Espanha preparam época natalícia

Países planeiam época natalícia com o objectivo de conter ao máximo propagação do vírus.

Foto
Natal é preocupação para as autoridades de saúde Reuters/CARL RECINE

Espanha e Alemanha estão a esboçar planos para a época natalícia, período que inspira maior preocupação às autoridades de saúde devido à proximidade entre famílias. Com limitações à circulação e ao número de pessoas no convívio, os dois países pretendem reduzir ao máximo o número de contágios resultantes da celebração do Natal e Ano Novo.

Os 16 estados federados da Alemanha planeiam permitir ajuntamentos de até dez pessoas durante as celebrações de Natal e Passagem de Ano, levando a cabo um relaxamento das restrições para que as famílias e amigos possam celebrar as datas juntos, de acordo com um esboço de uma proposta divulgada esta terça-feira.

Os chefes de governo dos estados federados deverão discutir os seus planos para o Natal e a passagem de ano com a chanceler Angela Merkel na quarta-feira. Porém, o presidente da câmara de Berlim, Michael Mueller, disse ao canal de televisão ARD que está confiante de que as medidas, discutidas na segunda-feira com os restantes chefes de governo, serão adoptadas.

Os representantes de dois estados federados alemães revelaram ainda que os líderes acordaram em alargar o confinamento nacional até 20 de Dezembro para travar a propagação da covid-19 antes do Natal.

A Alemanha encerrou os bares, restaurantes e espaços de entretenimento a 2 de Novembro, durante um mês. As escolas e lojas permanecem abertas e os ajuntamentos em espaços privados foram limitados a um máximo de dez pessoas de dois agregados familiares distintos.

De acordo com o novo plano, os ajuntamentos seriam limitados a um máximo de cinco pessoas até ao período de Natal — altura em que se alargaria este limite. Além disso, o plano propõe que seja proibido o fogo-de-artifício em locais públicos durante a véspera de Ano Novo, para evitar ajuntamentos.

“Deveria ser possível celebrar o Natal e outras festividades de final do ano com a família e amigos, até mesmo neste ano incomum, embora numa menor escala”, refere o documento citado pela Reuters.

Espanha com recolhimento obrigatório

O Ministério da Saúde espanhol propôs limitar as reuniões familiares e sociais durante o Natal a um máximo de seis pessoas, tendo também proposto o recolhimento obrigatório nocturno entre as 1h e 6h nos dias 24 e 31 de Dezembro (noite de Natal e véspera de Ano Novo), de acordo com um esboço do plano de medidas de saúde pública para enfrentar a pandemia de covid-19 durante o período natalício.

O documento assinala que devem apenas participar nas reuniões familiares membros que pertençam ao mesmo agregado ou grupo habitual de convivência, de acordo com o El País.

Caso haja algum membro externo, os ajuntamentos deverão ser limitados a um máximo de seis pessoas e dever-se-á garantir o cumprimento de medidas de prevenção da propagação do novo coronavírus.

Em Portugal, a directora-geral da Saúde garantiu esta segunda-feira que as autoridades estão a analisar possíveis medidas. “Acompanhamos as medidas previstas para o Natal e esperamos que seja possível abrandar de alguma forma as medidas que temos agora, sem que abrandamento signifique qualquer tipo de relaxamento”, afirmou Graça Freitas. “Vamos ter Natal de certeza. Com mais ou menos pessoas, mais à distância ou menos à distância, estou certa de que o vamos comemorar”, concluiu.