Reclusas de Tires doentes garantem que não recebem medicamentos e uma máscara descartável tem que ser usada três dias

Presas e guardas testadas no sábado só sabem resultado nesta segunda-feira. Multiplicam-se as queixas de falta de produtos de higiene íntima porque as reclusas estão impedidas de os comprar. Ministério diz que terão acesso a produtos hoje.

Foto
Pelo menos duas reclusas foram transferidas para os serviços clínicos do Estabelecimento Prisional de Santa Cruz do Bispo Paulo Pimenta

Impedidas há sete dias de ir à “cantina” comprar produtos como shampoo, pasta de dentes ou de higiene íntima feminina, mas também água engarrafada, cereais ou tabaco, as reclusas de Tires protestaram na sexta-feira gritando e batendo nas portas e nas viseiras das portas – partindo até algumas. A directora do estabelecimento prisional proibiu as compras há uma semana e por isso há reclusas sem produtos e higiene íntima feminina imprescindíveis ou grávidas sem acesso a água engarrafada, confirmou ao PÚBLICO a mãe de uma jovem brasileira condenada por tráfico de droga.