Obituário

Cruzeiro Seixas (1920-2020), o último surrealista dissidente

Com um estilo inconfundível, composto por paisagens lunares povoadas por seres ambíguos, o lugar de Cruzeiro Seixas é fundamental para a afirmação do surrealismo português. Uma história de arte que passa também pela liberdade sexual.

cultura,obituario,desenho,artes,culturaipsilon,pintura,
Foto
nelson garrido

Artur do Cruzeiro Seixas, um dos protagonistas mais importantes do movimento surrealista em Portugal, morreu no domingo no Hospital da Santa Maria, em Lisboa, a menos de um mês de completar 100 anos. A sua morte foi anunciada pela Fundação Cupertino de Miranda, que guarda o espólio visual e literário do artista em Famalicão.