Já fez o seu plano de contingência individual e familiar?

Apenas com a mobilização e cooperação de toda a sociedade podemos enfrentar a propagação do vírus SARS-COV-2 e mitigar os seus efeitos. Façamos a nossa parte.

O inverno aproxima-se e é expectável que a pandemia pelo novo coronavírus seja maior do que em qualquer outro momento anterior. Apenas com a mobilização e cooperação de toda a sociedade podemos enfrentar a propagação do vírus SARS-COV-2 e mitigar os seus efeitos. Façamos a nossa parte.

O vírus SARS-COV-2 é transmitido através de gotículas contaminadas em contacto com os olhos, o nariz ou a boca. As gotículas são expelidas pela boca ao falar, cantar, espirrar ou tossir. O uso de uma máscara ajuda a conter a expansão dessas gotículas. Essas gotículas depositam-se em superfícies onde o vírus pode sobreviver por longos períodos de tempo, como por exemplo: maçanetas de portas, botões de elevador ou barras de apoio nos transporte públicos.

Procure adotar e manter medidas preventivas de contágio, tais como:

-Evite tocar com as mãos na cara e não esfregue os olhos;
-Lembre-se de inspirar pelo nariz e expirar pela boca;
-Certifique-se que não come nada sem primeiro lavar bem as mãos;
-Crie o hábito de lavar bem as mãos assim que chega a casa;
-Quando conversar com outras pessoas, mantenha uma distância de 2 metros;
-um lenço de papel quando tossir ou espirrar e descarte-o no lixo assim que utilizado;
-Utilize uma máscara sempre que não possa manter distanciamento seguro de outras pessoas - ainda que sejam família, amigos ou colegas de trabalho;
-Desinfete com frequência superfícies e objetos de contacto regular (ex.: maçanetas das portas, os interruptores de luz, o comando da televisão, o telemóvel…).

Antecipe que possa haver restrições à frequência de locais públicos (ex., a partir de determinadas horas ou até por vários dias) e que possa ser aconselhado a ficar longe de outras pessoas.

A adoção de medidas mais ou menos restritivas decorrerá da evolução dos indicadores de propagação do vírus e da manutenção da capacidade de resposta integrada dos serviços de saúde, pelo que convém gerir expectativas com prudência e bom senso.

Antecipe que pode passar por uma situação de infeção ou de quarentena e procure preparar-se, na medida das suas possibilidades, para sobreviver por uma a duas semanas com o que tem em casa. Reflita e defina em família um plano de contingência. Antecipe e planeie como vai:

1. Limitar o número de saídas de casa:

a) Armazene água (se não costuma consumir água canalizada), alimentos (preferencialmente alimentos com valor nutricional equilibrado e que possam contribuir para o reforço do sistema imunitário) e outros itens essenciais, como suprimentos médicos e de saúde, sobretudo os mais comuns no contexto da mitigação de sintomas de covid-19 (ex., antipiréticos e analgésicos) e medicação crónica que utilize.

b) Guarde algum dinheiro em casa, para que possa pagar o fornecimento de frescos ou de qualquer necessidade que lhe possam suprir se tiver que se manter impreterivelmente na sua habitação, sobretudo se na sua área residência não existirem muitas instituições bancárias e terminais de levantamento (que podem, eles mesmos, ser afetados por isolamento ou quarentena de funcionários).

c) Não deixe de pedir assistência médica, caso necessite. Se precisar de sair de casa por isso, saia, não hesite.

2. Cuidar de si e das pessoas da sua família, se os serviços de apoio não estiverem disponíveis (ex.: instituições de apoio a cidadãos com incapacidade, lares de idosos ou escolas):

a) Defina e mantenha rotinas de alimentação, exercício e sono regular e saudável. Se precisar de ajuda, para si próprio ou para outros a seu cargo, peça ajuda. Não se isole socialmente.

b) Vigie as emoções, as suas e as da sua família. Desenvolva estratégias para identificar e gerir o despoletar de emoções negativas, como o medo, a raiva ou a tristeza.

b) Defina, se for o caso, rotinas para manter a aprendizagem e atividades recreativas de crianças e assegure-se de que tem materiais e livros educativos em casa. Mais uma vez, se necessário, peça ajuda.

c) Pergunte ao seu empregador, sindicato ou à Autoridade para as Condições do Trabalho sobre ausências, folgas e trabalho à distância. No seu local de trabalho, deverá existir um plano de contingência. Informe-se e incentive o planeamento com uma atitude construtiva. Sempre que possível, trabalhe a partir de casa, mantendo rotinas de trabalho e horários que lhe permitam fazer a adequada gestão e separação entre a atividade laboral e a vida privada e familiar.

d) Na medida do que a sua habitação o permitir, procure definir uma divisão da casa ou um espaço que possa ser utilizado para isolamento, caso alguém fique doente com covid-19, reforçando as medidas de higienização desse local e procurando dotá-lo do essencial para a assistência ao doente (água, alimentos não perecíveis, medicação, termómetro…). Consulte as diretrizes da DGS sobre como agir em caso de doença covid-19.

e) Mantenha visível uma lista de contactos de apoio ou de emergência, que contenha familiares, amigos, o médico assistente da sua família, a sua unidade local de saúde, a farmácia a que geralmente recorre, a autoridade policial mais próxima, o diretor de turma ou professores dos seus filhos, serviços de entrega de comida ou de produtos frescos (pão, fruta, legumes…), entre outros.

3. Ajudar a comunidade:

a) Estabeleça e mantenha contacto regular com familiares, amigos e vizinhos.

b) Esteja disponível para ajudar familiares, amigos ou vizinhos idosos ou com necessidades especiais, se os serviços dos quais eles dependem não estiverem operacionais.

c) Deixe suprimentos à porta de um familiar, amigo ou vizinho que esteja em casa, por isolamento ou quarentena, se de tal necessitar.

d) A violência doméstica é um crime público. Ajude a ajudar na proteção de crianças e vítimas de violência e abuso. Denuncie. Informe-se sobre como agir.

O planeamento individual e familiar é essencial para ultrapassar esta pandemia. Façamos a nossa parte. Já fez o seu plano de contingência individual e familiar?

O autor escreve segundo o novo acordo ortográfico