Antigo quarteirão do BPI na Baixa de Lisboa vai ser hotel de luxo

Cadeia norte-americana Hyatt anunciou o segundo hotel na capital portuguesa, com abertura prevista para 2024.

Foto
DR

Um quarteirão com cinco prédios na Baixa de Lisboa vai ser transformado num hotel de luxo da cadeia Hyatt. O estabelecimento, com abertura ao público prevista para 2024, ocupará as antigas instalações do BPI, que em 2018 vendeu os imóveis a um fundo de investimento.

O futuro hotel assumirá a marca Andaz Lisboa, terá 169 quartos num dos edifícios e suítes nos restantes quatro, anunciou esta segunda-feira a Hyatt em comunicado. Este será o segundo hotel desta cadeia hoteleira norte-americana em Lisboa, uma vez que está em construção um outro, em Belém, com abertura marcada para 2022.

O antigo quarteirão do BPI tem 11 mil metros quadrados de área bruta de construção e fica entre a Rua Augusta, a Rua do Ouro, a Rua do Comércio e a Rua de São Julião. Foi vendido em 2018, por 66 milhões de euros, a um fundo de investimentos imobiliários alemão.

Nesse mesmo ano o BCP alienou um edifício da Baixa ao grupo hoteleiro Sana e a Caixa Geral de Depósitos faria o mesmo, alguns meses depois, também ao Sana – consolidando assim a quase total saída da banca do centro histórico de Lisboa.

A arquitectura do futuro hotel estará a cargo de Andreas Mörschel e de Pedro Reis, enquanto o design de interiores será responsabilidade da Bastir Interior Design. Além de quartos e suítes, o edifício contará com restaurante, bar, spa e centro de fitness, refere o comunicado.

Nos últimos cinco anos, a Baixa transformou-se num dos principais centros de alojamento turístico de Lisboa e reduziu-se muito a centralidade empresarial e de serviços que durante décadas caracterizou o bairro. Em 2018, uma análise do PÚBLICO revelou a existência de 102 hotéis e estabelecimentos de alojamento local, o que correspondia a quase 4000 camas.

Estes números, que já estão desactualizados porque abriram entretanto mais hotéis e hostels, deverão continuar a aumentar nos próximos anos. Já este ano, antes de a covid-19 chegar a Portugal e quase paralisar o sector turístico, o grupo israelita Fattal anunciou a instalação de um hotel com 130 quartos no antigo convento Corpus Christi, na Rua dos Fanqueiros.