À mesa do Parque Nacional da Peneda-Gerês

A gastronomia regional é o que nos move de mesa em mesa: o naco de cachena, o cabrito, os enchidos e os doces, tantos doces. Mas, entre uma refeição e outra, há que passear e digerir e, então, recebe-nos a paisagem de sempre, com percursos pedestres, castelos, abelhas e mergulhos. Para ficar e comer de mais.

minho,gastronomia,fugas,portugal,turismo,ambiente,
Fotogaleria
minho,gastronomia,fugas,portugal,turismo,ambiente,
Fotogaleria
minho,gastronomia,fugas,portugal,turismo,ambiente,
Fotogaleria
minho,gastronomia,fugas,portugal,turismo,ambiente,
Fotogaleria

“É um dos primeiros sinais do Outono.” Anabela Moedas aponta para uma pequena flor de pétalas lilases que brota, isolada, no trilho que percorremos. É uma merendera montana, ou como a apelidam os vizinhos espanhóis, uma “quita merendas”, por florescer na altura em que os dias começam a ficar mais curtos e os trabalhadores das terras deixavam de receber a última refeição entregue nos meses de Verão.