Opinião

À atenção do pessoal que acha que isto é tudo igual

O ciclo político hoje ainda consegue ser mais curto, mais saturado de agressividade e polémicas, e portanto mais amnésico. E um mês é uma eternidade.

Há exatamente quatro anos, no dia 7 de outubro de 2016, que calhou ao domingo, o jornal The Washington Post divulgou uma gravação na qual Donald Trump, à entrada de um programa de televisão e já com o microfone ligado, falava de como costumava assediar e, mais do que isso, agredir mulheres, agarrando-lhes no sexo sem permissão. “Quando se é famoso, deixam-nos fazer tudo”.